INTRODUÇÃO
 
 
 

VER GALERIA DE FOTOS

 

AUDIO:

  1. Ouvir
  2. Ouvir
 

INFORMAÇÕES:

TRINCA-FERRO
Saltator similis (d'Orbigny & Lafresnaye, 1837)

Família: Thraupidae
Nome em Inglês: Green-winged Saltato

Foto: Germano Woehl Junior
Local: RPPN Corredeiras do rio Itajaí, em Itaiópolis - SC
Data: 11/07/2010

É uma das espécies mais visados pelos traficantes de animais. A pessoas podem ajudar não mantendo pássaros em gaiolas. Estes pássaros são capturados na natureza e é uma grande crueldade mantê-los presos. Prisão foi feita para quem fez coisas erradas e não para os bichos.

Sobre o assunto, segue um poema de OLAVO BILAC, o autor do hino à bandeira. Ele escreveu este poema há 100 anos!


O PÁSSARO CATIVO
Olavo Bilac

Armas, num galho de árvore, o alçapão.
E, em breve, uma avezinha descuidada, batendo as asas cai na escravidão.

Dás-lhe então, por esplêndida morada, a gaiola dourada.
Dás-lhe alpiste, e água fresca, e ovos, e tudo.

Por que é que, tendo tudo, há de ficar o passarinho
mudo, arrepiado e triste, sem cantar?

É que, criança, os pássaros não falam.
Só gorgeando a sua dor exalam, sem que os homens os possam entender.
Se os pássaros falassem,
talvez os teus ouvidos escutassem este cativo pássaro dizer:

"Não quero o teu alpiste!
Gosto mais do alimento que procuro na mata livre em que a voar me viste.
Tenho água fresca num recanto escuro.
Da selva em que nasci; da mata entre os verdores,
tenho frutos e flores, sem precisar de ti!

Não quero a tua esplêndida gaiola!
Pois nenhuma riqueza me consola de haver perdido aquilo que perdi...
Prefiro o ninho humilde, construído de folhas secas, plácido, e escondido.

Entre os galhos das árvores amigas...
Solta-me ao vento e ao sol!
Com que direito à escravidão me obrigas?

Quero saudar as pompas do arrebol!
Quero, ao cair da tarde, entoar minhas tristíssimas cantigas!

Por que me prendes? Solta-me, covarde!
Deus me deu por gaiola a imensidade!
Não me roubes a minha liberdade...
QUERO VOAR! VOAR!..."

Estas coisas o pássaro diria, se pudesse falar.
E a tua alma, criança, tremeria, vendo tanta aflição.
E a tua mão, tremendo, lhe abriria a porta da prisão
 


Trinca-ferro

No Brasil existem cerca de oito formas do gênero Saltator, todas relativamente parecidas. Apenas uma das espécies, o bico-de-pimenta é bem diferente, pois uma máscara preta desce até a garganta, e o bico tem uma cor laranja bem intenso. Muito caçado e apreciado por seu belo canto.

Também é chamado de trinca-ferro, bico-de-ferro, tempera viola, pixarro, pipirão, estevo, papa-feijão (SC), titicão, tia-chica e chama-chico (interior de SP).

Características
Um pouco menor do que outras espécies do mesmo gênero, possuem o mesmo bico negro e forte que originou o nome comum dessas aves. Como na espécie bico-grosso (Saltator maximus),  apresenta dorso verde, cauda e lados da cabeça acinzentados. A listra superciliar é a mais comprida das três espécies (ave adulta), com o “bigode” menos definido e garganta toda branca. Por baixo, domina o cinza nas laterais, tornando-se marrom alaranjado e branco no centro da barriga. Asas esverdeadas. O juvenil não possui a listra tão extensa, sendo a mesma falhada ou inexistente, logo após saírem do ninho.

Bico bastante enérgico e fortificado (o quê deu cunho ao nome “trinca-ferro”), com cauda diferenciada em tamanho. Não existe diferenças corporais entre machos e fêmeas.

Seu canto varia um pouco de região a região, embora mantenha o mesmo timbre. Para diferenciar o macho da femea é necessário perceber o canto do macho e o piado da femea.

ESPÉCIE SEM DIMORFISMO SEXUAL

Alimentação
O trinca-ferro-verdadeiro é um típico onívoro, se alimentando de frutos, insetos, sementes, folhas e flores (como as do ipê). Na infância seu regime alimentar é predominantemente animal.O macho costuma trazer alimento para sua fêmea.

Reprodução
O ninho é construído em arbustos a 1 ou 2 m de altura, é uma tigela espaçosa, com cerca de 12 cm de diâmetro externo, feita com folhas grandes e secas seguras por alguns ramos, resultando uma construção frouxa; no interior são colocadas pequenas raízes e ervas. Os 2 ou 3 ovos, alongados, medem cerca de 29 x 18 mm e são azul-claros ou verde-azulados, com manchas pequenas e grandes no pólo rombo, formando uma coroa.Durante o período de reproduçao,vivem estritamente aos casais sendo extremamente fiéis a um território.

Hábitos
Vivem em capoeiras, bordas de matas e clareiras. Está sempre associado às matas, ocupando o estrato médio e superior.

Distribuição Geográfica
Distribui-se na parte central do Brasil e nordeste, na Bahia ao sul do País, no Rio Grande do Sul e toda a região Sudeste. Além de fronteiras vizinhas internacionais como Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. 

Vídeo do Trinca-ferro se alimentando dos frutos de cuvitinga Solanum sp.

 
  • fepema
  • weg
  • frbl
  • johnsonejohnson
  • bvs&a
  • governo_sc
  • avina
  • brazil_foundation
  • portal_social
  • celesc
  • prefeitura_jaragua
  • fujama
  • Doacao Donate