INTRODUÇÃO BIBLIOGRAFIA AGRADECIMENTOS
 
 
 

VER GALERIA DE FOTOS

 
 

INFORMAÇÕES:

VEADO-CATINGUEIRO (Jovem com no máximo 1 ano) - Gray Brocket, Brown Brocket 
Mazama gouazoubira (Fischer, 1814)

Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Cervidae
Subfamília: Odocoileinae


Foto: Câmera de trilha - Bushnell modelo 119477C
Local: RPPN Corredeiras do Rio Itajaí - Itaiópolis - Santa Catarina
Data: 04/01/2015 - Horário: 10h40min


Ameaças
Esta espécie de veado vem sofrendo um grande declínio populacional devido à perda de hábitat pelo desmatamento e à caça. Cachorros domésticos também invadem ao poucos fragmentos de matas preservadas a quilômetros de distância da residências de seus proprietários e perseguem até matarem o último exemplar que tenta sobreviver nestas áreas. Está incluído nas listas de espécies ameaçadas do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul onde é classificado, respectivamente, como em perigo e vulnerável.

Características
O comprimento do adulto varia entre 90 e 1,25 cm. O peso pode variar entre 11 a 25 kg, ficando geralmente próximo dos 18 kg. Sua pelagem é marrom-acinzentada, mais escura no meio do dorso e com o ventre mais claro, próximo do branco. A garganta e a parte inferior da cauda são esbranquiçadas e o pescoço acinzentado. A testa tem um tufo de pêlos escuros e os chifres, que só existem no macho, são galhadas simples e retas, sem ramificações, que atingem no máximo 12 cm de comprimento. As fêmeas, ao invés de chifres, tem apenas uma elevação e sua pelagem é um pouco mais clara que a do macho. A maioria dos indivíduos tem uma pinta branca acima dos olhos que é inexistente nas outras espécies. Vive em média 20 anos.

Alimentação
Dieta ampla que inclui broto de gramíneas, folhas de leguminosas, frutas e flores.

Predadores
Seus predadores naturais são cachorro-do-mato e felinos, como onças.

Comportamento
Solitário, tem hábitos noturnos e diurnos; costuma sair pela manhã, sozinho ou aos pares, para se alimentar. Os veados-catingueiros apresentam um comportamento de marcação de território através da presença de “latrinas” ou pilhas de fezes, geralmente depositadas 8 nas bordas dos capões de mata ou em seu interior. Essas “latrinas” são formadas em locais frequentemente utilizados para abrigo ou alimentação. Os machos também utilizam seus chifres e glândulas localizadas na cabeça para marcar em arbustos, abaixo dos quais, em algumas ocasiões, raspam as patas dianteiras no solo, chegando a depositar um pouco de fezes e urina no local. Os locais marcados desta maneira, quando encontrados por outro macho, são imediatamente remarcados, inclusive com defecação. As áreas de uso mais intensivo parecem ser evitadas por outros indivíduos adultos do mesmo sexo

Reprodução
Reproduz-se em todos os meses do ano e percebe a presença da fêmea a grande distância. Eles ficam juntos por uma ou duas semanas e, após uma gestação de aproximadamente 206 dias, a fêmea tem um único filhote que pesa cerca de 500 g. A pelagem do filhote é marrom, salpicada de pintas brancas distribuídas pelos flancos.

Habitat
Matas densas que margeiam os rios (mata ciliar) e nas partes mais planas dos terrenos. Pode ser encontrado também em campos abertos no entorno das matas fechadas.

Distribuição geográfica
O veado-catingueiro apresenta ampla distribuição na América do Sul, deste o sul do Uruguai até o norte do Mato Grosso e deste a cordilheira dos Andes até o Atlântico.


Agradecemos pela identificação da espécie ao Prof. Dr. Jose Mauricio Barbanti Duarte, do Departamento de Zootecnia da UNESP de Jaboticabal (SP) e ao Pesquisador Associado Márcio Leite de Oliveira, M.Sc, do Núcleo de Pesquisa e Conservação de Cervídeos – NUPECCE, também da UNESP de Jaboticabal.

 
  • fepema
  • weg
  • frbl
  • johnsonejohnson
  • bvs&a
  • governo_sc
  • avina
  • instituto_hsbc
  • portal_social
  • celesc
  • prefeitura_jaragua
  • fujama
  • Doacao Donate