INTRODUÇÃO
 
 
 

VER GALERIA DE FOTOS

 
 

INFORMAÇÕES:

PICA-PAU-BRANCO
Melanerpes candidus (Otto, 1796)

Família: Picidae
Nome em Inglês: White Woodpecker

Foto: Juninho Camillo
Local: Centro de Itaiópolis (SC)
Data: 05/02/2016



Características
Mede entre 24 a 29 centímetros e pesa entre 98 e 136 gramas. A fêmea tem a plumagem semelhante a plumagem do macho, mas ela não tem as penas amarelas na nuca, e a listra preta da cabeça não tão bem definida como no indivíduo do sexo masculino, sendo mais diluída ou embaçada.

Alimentação
Alimentam-se de insetos e suas larvas, sementes, frutos e mel. Caçam insetos, especialmente sob a casca. Atacam ninhos de marimbondos e vespas. Nessas ocasiões, é notável como esses insetos voam próximos ao pica-pau, sem atacá-los com seus ferrões. Procuram, avidamente, as larvas nas casas de marimbondo, destruindo-as por completo. Abre ninhos de abelhas silvestres como a irapuá (Trigona spinipes), para deles retirar larvas e adultos. Ataca também cupinzeiros arborícolas e vem ao solo para capturar formigas. Além de insetos, alimentam-se de frutos, inclusive plantas cultivadas em pomares, como mamão, laranja, bananas etc.

Reprodução
Para nidificar escava seu ninho em troncos de árvores secas e palmeiras e, às vezes, utiliza uma cavidade natural em rochas, onde põe 3 a 4 ovos brancos e brilhantes. Os filhotes deixam o ninho com aproximadamente 35 a 36 dias. Durante a época do acasalamento realiza voos de exibição.

Hábitos
Vive em áreas campestres, pastos, eucaliptais, capoeiras ralas, buritizais, plantações e áreas rurais. Vive também em cidades, parques, jardins, pomares, bordas de brejos arborizados e no Pantanal de Mato Grosso. Encontrado em grupos de 6 a 10 indivíduos, podendo chegar a 20, às vezes associado a outros tipos de aves campestres gregárias como o pica-pau-do-campo, o anu-branco, o anu-preto e o sabiá-do-campo. O grupo todo dorme junto, no oco de uma árvore, às vezes com várias entradas.

Distribuição geográfica
Presente em campos da foz do rio Amazonas estendendo-se para as regiões campestres de todo o Brasil. Encontrado também no Suriname, Bolívia, Argentina, Paraguai e Uruguai.


Agradecemos ao Juninho Camillo por gentilmente ter cedido o uso de suas fotos em nosso site e ter registrado esta espécie no quintal de sua residência em Itaiópolis (SC).
 
  • fepema
  • weg
  • frbl
  • johnsonejohnson
  • bvs&a
  • governo_sc
  • avina
  • brazil_foundation
  • portal_social
  • celesc
  • prefeitura_jaragua
  • fujama
  • Doacao Donate