INTRODUÇÃO
 
 
 

VER GALERIA DE FOTOS

 
 

INFORMAÇÕES:

SAÍRA-SAPUCAIA
Stilpnia peruviana (Desmarest, 1806)

Outros nomes populares: Saíra-peruviana, saíguaçu, saíra-de-dorso-preto e saí-das-restingas

Nome em Inglês: Black-backed Tanager

Família:     Thraupidae
Subfamília: Thraupinae


Foto: Germano Woehl Jr
Local: RPPN Santuário Rã-bugio – Guaramirim SC
Data: 11/06/2022


AMEAÇAS
É considerada ameaçada de extinção, na categoria “Vulnerável” na Lista Vermelha da IUCN ( União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais). A destruição da Mata Atlântica nas regiões de baixada (litorâneas), hábitat da espécie (até 200 metros de altitude), é a principal causa da ameaça de extinção.
.
Características
Mede cerca de 15 cm. Possui manchas pretas no dorso; isto a diferencia do macho da saíra-preciosa (Stilpnia preciosa). As fêmeas são menos coloridas; só possuem a cabeça marrom claro e o resto do corpo em tons esverdeados. Clique aqui para ver a foto da fêmea. Jovens e filhotes são pardos com asas e cauda esverdeados. Clique aqui para ver a foto do jovem.

Alimentação
Alimenta-se de frutos predominantemente, mas também de insetos e aranhas.

Reprodução
Tem em média 2 ninhadas por estação com 3 ovos cada uma. Já foi registrada nidificando no interior da bromélia Vriesea rodigasiana.

Hábitos
É habitante das restingas, de matas primárias e secundárias. Durante o inverno, farta-se com os pequenos frutos de Capororoca (Myrsine L.), além de ocasionalmente frequentar comedouros para aves. Na RPPN Santuário Rã-bugio, em Guaramirim (SC) costuma aparecer durante o inverno para se alimentar de bananas ofertadas as saíras, guturamos etc. Em 11/06/2022 foram observados três machos adultos (dois com carrapatos), um jovem macho, e mais de uma fêmea e jovens de sexo indeterminado.

A população residente de saíra-sapucaia habita o litoral de São Paulo até Santa Catarina, e parte dessa população migra durante o inverno, alcançando o litoral norte de São Paulo, Rio de Janeiro e Espirito Santo.

Distribuição Geográfica
Presente nos estados de Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

É espécie endêmica da Mata Atlântica, tem uma extensão de ocorrência estimada de 75722 km2, e tem como centróide de sua distribuição 23º58’S, 46º05’W. No limite norte de sua distribuição (RJ) ocorrem deslocamentos sazonais, sua chegada coincidindo com a frutificação da aroeira, Schinus L.. Em São Paulo é mais comum nos meses frios e neste período registros ocasionais foram feitos mais para o interior. Embora nos meses frios essa espécie apareça em diversas localidades do litoral de São Paulo, as populações do sul do Estado não migram. De Peruíbe para o sul, a espécie pode ser encontrada o ano todo. No ES todos os registros foram feitos no inverno austral. A altitude média de seus pontos de ocorrência foi estimada em 204 m

Assista ao vídeo da saíra-sapucaia (macho e fêmea) se alimentando de bananas.

 
fepema weg frbl johnsonejohnson bvs&a governo_sc avina brazil_foundation celesc prefeitura_jaragua cmdca Doacao Donate