ÁREAS PROTEGIDAS

 

ÁREAS PROTEGIDAS

 

O Instituto Rã-bugio administra duas áreas protegidas:

1) RPPN Santuário Rã-bugio, em Guaramirim (SC)

2) RPPN Corredeiras do Rio Itajaí, em Itaiópolis (SC)



1) RPPN Santuário Rã-Bugio


Localização: Guaramirim (SC)

Endereço da sede:
Rua Guilherme Tomelin, 5484 - Bruderthal
89270-000 Guaramirim (SC)


A Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Santuário Rã-bugio é uma área protegida, de interesse público, que integra o Sistema Nacional de Unidades de Conservação – SNUC. Foi criada através das Portarias no. 2 e no 16 do Ministério do Meio Ambiente, publicada no DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO, no 24, de 06/02/2008, páginas 62 e 63, e no 54 de 19/03, seção 1, página 144. O Plano de Manejo das RPPNs Santuário Rã-bugio I e II foi aprovado pela Portaria do Ministério do Meio Ambiente/ICMBio nº 94, de 12 de setembro de 2014, publicada no Diário Oficial da União Nº 177, página 152 de 15/09/2014

A área da RPPN é 4,75 hectares (47.500 m2) com Mata Atlântica em estágio avançado de regeneração e primária e dispões de trilhas interpretativas, onde os estudantes podem observar a biodiversidade da Mata Atlântica de plantas e animais. Neste local são desenvolvidas as atividades de educação ambiental do Instituto Rã-bugio.

Jacatirão (Tibouchina mutabilis) na sede da RPPN Santuário Rã-bugio, em Guaramirim, Santa Catarina
Jacatirão (Tibouchina mutabilis) na sede da RPPN Santuário Rã-bugio. Clique sobre a imagem para ampliar

Palmito juçara (Euterpe edulis) na sede da RPPN Santuário Rã-bugio, em Guaramirim - Santa Catarina
Palmito juçara (Euterpe edulis) na sede da RPPN Santuário Rã-bugio. Clique sobre a imagem para ampliar

Floresta primária da Mata Atlântica da RPPN Santuário Rã-bugio, Serra do Mar, Guaramirim - Santa Catarina
Parte da RPPN Santuário Rã-bugio é de floresta primária de Mata Atlântica, com árvores gigantescas. Clique sobre a imagem para ampliar

O nome “Rã-bugio” é devido a uma espécie de rãzinha (Physalaemus olfersi) que ocorre em áreas preservadas da região e os moradores utilizam este nome por causa do coaxar, que lembra o som emitido pelo macho do macaco bugio. Clique aqui para ouvir o coxar e obter mais informações sobre a Rã-bugio.

Não é muito comum anfíbios terem nomes populares específicos. Então, por ser um nome muito significativo, Germano e Elza acharam interessante utilizá-lo no nome da RPPN e na instituição que criaram em 04 de abril de 2003, o INSTITUTO RÃ-BUGIO PARA CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE.


Rã-bugio (Physalaemus lateristriga), o coaxar deste anfíbio lembra o canto do macaco bugio. Clique aqui para ouvir o coaxar da rã-bugio



Trilha interpretativa: entender a importância da Mata Atlântica é o primeiro passo para conservá-la.

Estudante da E.E.B. Euclides da Cunha, de Jaraguá do Sul (SC), em atividades interativas do projeto de Educação Ambiental do Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade, no dia 26/10/2009
Aprendendo a gostar e admirar a natureza. Aluna da E.E.B. Euclides da Cunha, de Jaraguá do Sul (SC), em atividades interativas do projeto de Educação Ambiental do Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade, no dia 26/10/2009



O serelepe (Sciurus ingrami) é um dos mamíferos que pode ser facilmente observado na trilha interpretativa da RPPN Santuário Rã-bugio.




Fruto do ticum (Bactris lindmaniana): os serelepes também dispersam as sementes desta palmeira, ao escondê-las, enterrando-as no solo.




Fruto da canela- burra, árvore que ocorre na RPPN Santuário Rã-bugio. As sementes desta planta são dispersadas por aves como as sabiás.




Estudantes aprendem sobre a reprodução dos anfíbios na RPPN Santuário Rã-bugio



 
Borboleta Hamadryas amphinome que pode ser observada na RPPN Santuário Rã-bugio.
 Clique sobre a imagem para ampliar



Fruto da baga-de-tangará, espécie de arbusto do sub-bosque que ocorre na RPPN Santuário Rã-bugio



LISTA PRELIMINAR DE AVES DA RPPN SANTUÁRIO RÃ-BUGIO


Tucano de bico verde fotografado na RPPN Santuário Rã-bugio. Ao se alimentar dos frutos do palmiteiro ele regurgita as sementes, plantando esta espécie e também outras árvores da Mata Atlântica.


ANAMBÉ-BRANCO-DE-RABO-PRETO Tityra cayana (Linnaeus, 1766)
ANDORINHA Notiochelidon cyanoleuca
ANU-BRANCO Guira guira
ANU-PRETO Crotophaga ani
ARAPAÇU-GRANDE Dendrocolaptes platyrostris
ARAPONGA Procnias mudicollis 
ARAQUÃ Ortalis squamata
BARBUDO-RAJADO  Malacoptilla striata
BEIJA-FLOR-GRANDE-DO-MATO Ramphodon naevius
BEIJA-FLOR-PRETO-E-BRANCO Melanotrochilus fuscus
BEIJA-FLOR-RUBI Clytolaema rubricauda
BEIJA-FLOR-VERDE Thalurania glaucopis
BENTEVI Pitangus sulphuratus
BENTEVI-PIRATA Legatusleucophaius
BENTEVI-RAJADO Myiodynastes maculatus
BIGODINHO Sporophila lineola (Linnaeus, 1758)
CABEÇUDO Leptopogon amaurocephalus (Tschudi, 1846)
CAMBACICA Coereba flaveola
CANÁRIO-DA-TERRA Sicalis flaveola
CANELEIRO-DE-CHAPEU-NEGRO Pachyramphus validus
CARÃO Aramus Guarauna
CARACARÁ Polyborus plancus
CHOQUINHA-CARIJÓ Drymophila malura
CHOQUINHA-CINZENTA Myrmotherula unicolor
CHOQUINHA-DE-FLANCO-BRANCO Myrmotherula axillaris melaena
CIGARRA-DO-COQUEIRO Tiaris fuliginosus (Wied, 1830)
COLEIRINHO Sporophila caerulescens
COROCOCHÓ Carpornis cucullata (Swainson, 1821)
CORRUÍRA Troglodytes aedon
CORUJA-BURAQUEIRA Athene cunicularia (Molina, 1782)
CORUJA-DE-IGREJA, SUINDARA Tyto alba
CORUJA-DE-ORELHA Megascops sanctaecatarinae (Salvin, 1897)
CORUJA-MOCHO-DIABO Asio stygius (Wagler, 1832)
CURUTIÉ Certhiaxis cinnamomeus (Gmelin, 1788)
CUSPIDOR-DE-MÁSCARA-PRETA Conopophaga melanops
DANÇADOR TOPETE PRETO Piprites pileatus
FORMIGUEIRO-DE-CAUDA-PARDA Drymophila malura
FRANGO D'ÁGUA Gallinula chloropus
GALINHA-DO-MATO Formicarius colma ruficeps
GARÇA-BRANCA-GRANDE Ardea alba (Linnaeus, 1758)
GARÇA-BRANCA-PEQUENA Egretta thula
GARIBALDI Agelaius ruficapillus
GATURAMO BANDEIRA Chlorophonia cyanea
GATURAMO Euphonia violacea
GATURAMO-FERRUGEM Euphonia pectoralis
GAVIÃO-PEGA-MACACO Spizaetus tyrannus
GAVIÃO-CARIJÓ Rupornis magnirostris
GAVIÃO-TESOURA Elanoides forficatus (Linnaeus, 1758)
GRALHA-AZUL Cyanocorax caeruleus (Vieillot, 1818)
GUAXE Cacicus haemorrhous
INAMBU-GUAÇÚ Crypturellus obsoletus
INHAMBU-CHINTÃ Crypturellus tataupa (Temminck, 1815)
JAÇANÃ Jacana-jacana
JACU-AÇU Penelope obscura
JOÃO-DE-BARRO Fornarius rufus
JURITI Leptotila verreauxi
JURITI-GEMEDEIRA Leptotila rufaxilla (Richard & Bernard, 1792)
JURUVIARA Vireo olivaceus (Linnaeus, 1766)
LIMPA-FOLHA-COROADO Philydor atricapillus (Wied, 1821)
MAÇARICO-DO-BANHADO Phimosus infuscatus (Lichtenstein, 1823)
MAITACA Pionus maximilian
MARIQUITA Parula pitiayumi
MARRECA-PÉ-VERMELHO Amazonetta brasiliensis
MARTIM-PESCADOR-GRANDE Ceryle torquata
MARTIN-PESCADOR-PEQUENO Chloroceryle americana
PAPA-FORMIGA-DE-GROTA Myrmeciza squamosa (Pelzeln, 1868)
PAPA-MOSCA-UIRAPURA Terenotrillus erythrurus
PAPA-TAOCA-DO-SUL (OLHO-DE-FOGO) Pyriglena leucoptera
PARIRI Geotrygon montana (Linnaeus, 1758)
PATINHO Platyrinchus mystaceus (Vieillot, 1818)
PERNA-LONGA Himantopus himantopus
PERIQUITO-RICO Brotogeris tirica
PICA-PAU-ANÃO-DE-COLEIRA Picumnus temminckii
PICA-PAU-BENEDITO Melanerpes flavifrons
PICA-PAU-BRANCO Heteroxolmis dominicana
PICA-PAU-CHÃ-CHÃ Colaptes C. campestroides
PICA-PAU-DE-CABEÇA-AMARELA Celeus flavescens
PICA-PAU-DE-BANDA-BRANCA Dryocopus lineatus
PICHORORÉ Synallaxis ruficapilla (Vieillot, 1819)
PICUÃ Piaya cayana (Vieillot, 1817)
PINTASSILGO Spinus magell anicus
PIXOXÓ Sporophila frontalis (Verreaux, 1869)
POLÍCIA-INGLESA-DO-SUL Sturnella superciliaris (Bonaparte, 1850)
PRÍNCIPE Pyrocephalus rubinus
PULA-PULA-DO-RIO Phaeothlypis rivularis
QUERO-QUERO Venellus chilensis
ROLINHA Columbina talpacoti
SABIÁ-BARRANCO Turdus leucomelas (Vieillot, 1818)
SABIÁ-DE-COLEIRA Turdus albicollis
SABIÁ-LARANJEIRA Turdus rufiventris
SABIÁ-POCA Turdus amaurochalinus (Cabanis, 1850)
SABIÁ-PRETO Platycichla flavipes
SACI Tapera naevia
SAÍ-ANDORINHA Tersina viridis
SAÍ-AZUL Dacnis cayana
SAÍ-VERDE Chlorophanes S. Spiza
SAÍRA-PRECIOSATangara peruviana
SAIRA-DA-MATA Hemithraupis ruficapilla
SAÍRA-DE-SETE-CORES Tangara seledon
SAIRA-MILITAR Tangara cyanocephala
SAÍRA-PRECIOSA Tangara preciosa
SAIRA-LAGARTA Tangara demaresti
SANHAÇO-DE-ENCONTRO-AZUL Thraupis cyanoptera
SANHAÇO-CINZENTO Thraupis sayaca
SANHAÇO-DE-ENCONTRO-AMARELO Thraupis ornata
SANHAÇO-DO-COQUEIRO Tangara palmarum (Wied, 1821)
SARACURA Aramides saracura
SARACURA-TRÊS-POTES Aramides cajanea
SIRIRI, SUIRIRI Tyrannus melancholicus
SOCOZINHO Butorides striata (Linnaeus, 1758)
SURUCUÁ-GRANDE-DE-BARRIGA-AMARELA Trogon viridis
SURUCUÁ-DE-PEITO-AZUL Trogon surrucura
SURUCUÁ-DE-BARRIGA-AMARELA Trogon rufus
TANGARÁ-DANÇADOR Chiroxiphia caudata
TESOURINHA Tyrannus savana
TICO-TICO Zonotrichia capensis
TIÊ-PRETO Tachyphonus coronatus
TIÊ-DE-TOPETE Trichotharaupis melanops
TIÉ-SANGUE Ramphocelus bresilius
TINGUAÇÚ Attila rufus
TINGUAÇU-CASTANHO Attila phoenicurus (Pelzeln, 1868)
TIZIU Volatinia jacarina
TIRIVA Pyrrhura frontalis
TRINCA-FERRO-VERDADEIRO Saltador similis
TROVOADA Drymophila ferruginea
TUCANO Ramphastos dicolorus
URU Odontophorus capueira
URUBU Coragyps atratus
URUTAU Nyctibius griseus

2) RPPN Corredeiras do Rio Itajaí, em Itaiópolis (SC)

fepema weg frbl johnsonejohnson bvs&a governo_sc avina brazil_foundation celesc prefeitura_jaragua cmdca Doacao Donate